MUSEU A CÉU ABERTO

  • Publicado em: 13/02/2019 às 13:50   |   Imprimir

 

Devido ao fato da cidade ter-se desenvolvido no local do sitio arqueológico, várias edificações foram erguidas sobre suas fundações, não sendo possível uma exposição total a céu aberto.
 Assim, neste Centro Histórico "janelas arqueológicas" mostram uma parcialidade dos vestígios arquitetônicos da antiga redução de Santo Ângelo Custódio.
Durante o biênio 2006-2007, uma equipe do Núcleo de Arqueologia do Centro de Cultura Missioneira (CCM-URI) realizou prospecções e escavações arqueológicas aliadas a um estudo geofísico que confirmaram a localização de vestígios arqueológicos da antiga redução de Santo Ângelo Custódio, em subsolo. Um estudo cartográfico possibilitou a confirmação das informações existentes na única planta conhecida da redução, elaborada em 1784 pelo engenheiro e cartógrafo Don Jose Maria Cabrer, integrante da comitiva espanhola das Partidas Demarcadoras de Limites.
Com a realização do projeto foi possível trazer à luz vestígios de fundação, pavimentos de ladrilhos e bases de colunas do antigo templo jesuítico, além de uma gama de artefatos jesuítico guarani (séc. XVIII) e das primeiras décadas do repovoamento (séc. XIX e XX). 
A partir de 2007, a Prefeitura Municipal de Santo Ângelo, através do Núcleo de Arqueologia, também realiza um programa de vistorias arqueológicas na área de todo o centro histórico buscando novos vestígios da antiga redução.
A mais Antiga Planta da Redução de Santo Ângelo. 
A redução de Santo Ângelo Custódio fazia parte do conjunto dos Trinta Povoados Missioneiros e foi o último dos Sete Povos da Banda Oriental do Rio Uruguai.
Foi instalada em 1707 no local onde hoje se encontra o centro histórico do município de Santo Ângelo.
O mais novo dos Sete Povos destacou-se no século XVIII como o maior produtor de erva-mate e algodão. Atingiu seu auge populacional em 1753, com 5417 habitantes.
Assim como ocorreu nas demais reduções, houve a derrocada do povoado em decorrência dos acontecimentos relativos do Tratado de Madri (1750) e à Guerra Guaranítica (1754-1756), que resultaram na expulsão de jesuítas (1767-1786) do território. No final do século XVIII e meados do século XIX, os remanescentes da experiência jesuítico - guarani foram desestruturadas pela ação militar luso-espanhola, bem como pelo processo de repovoamento ocorrido nos séculos XIX e XX.
 
Centro Histórico de Santo Ângelo 
Telefones: (55) 3312 0171  ou  (55) 3313 6321